domingo, 22 de março de 2009

Ficção, não! Realidade!

Desde que a novela Caminho das Índias começou a ser exibida na Globo, todos estão discutindo a história do menino de classe média que desrespeita e agride professores e colegas, com a total conivência dos pais. A princípio, parece "coisa de novela", mas aos poucos estamos percebendo que, nesse caso, a ficção imita a vida e não o contrário.

Outro dia citei e comentei no meu blog Ensino de Química uma matéria sobre o assunto, que mostrava o triste quadro de violência existente nas escolas brasileiras. Ontem recebi por e-mail uma entrevista feita com a atriz Silvia Buarque, que interpreta a professora Berenice na novela Caminho das Índias, da Rede Globo. Nessa entrevista a atriz conta como foi seu laboratório para compor a personagem e o que viu nas escolas que visitou. Num dado momento da entrevista, fala-se sobre o blog de Gloria Perez (autora da novela) e as discussões que tem sido travadas por lá. Resolvi, então, dar uma olhada para ver o que anda acontecendo.

Pois bem, digo a vocês que foi um choque para mim ler coisas escritas por pessoas que pareciam mais ser os atores da novela, que interpretam os pais do adolescente problema, dizendo aquelas frase inacreditáveis: "Estão perseguindo nosso filhinho!", "Aquelas professorinhas têm inveja do meu filho porque ele tem dinheiro e elas não!", coisas do tipo!

Não li todos os posts anteriores com as discussões polêmicas que a autora cita, mas li um chamado "Calma, gente!" e outro chamado "A mãe do Zeca". O que se lê nos comentários a esses posts é uma afronta à inteligência humana e à capacidade de simplesmente ver o que se passa em sua frente!

Eu nem vou comentar nada agora. Vou mostrar para vocês alguns dos comentários que foram escritos por lá. Não vou reproduzi-los na íntegra, mas vou colocar aqui as partes das quais falei. Quero salientar que, alguns desses comentários, em suas continuações expressam uma ou outra verdade, mas, "no frigir dos ovos", acabam por culminar no pensamento de que os pais são todos maravilhosos e os professores todos mal intencionados. E a culpa do aluno ser problemático, quando os comentários admitem que alunos assim existem, é sempre do professor ou o problema foi inventado pelo professor!

"é?
essa estoria de aluno ruim por conta de pais coniventes omissos é discurso de mau professor
esse vies caolho não ajuda a escola nem a pública e nem a particualar
na verdade não existe esse tipo de pais, os pais são os maiores responsáveis que seus filhos se deem bem na vida, que aprendam o máximo que se preparem para a vida.
quem lança essa estória é professora
isso não existe,absolutamente não existe.
assim como não existe escola onde o pai entra direto para a sala de aula resolver com a professora..."


"Glória, minha cara !
Que sua novela está linda, está.
Tudo se delineando para o sucesso,não fosse o Zeca....
Aquele figura só existe no imaginário das más professoras que querem a todo custo jogar a responsabilidade nas costas dos pais.
Imagina ainda sendo uma escola particular.
Só se o pai fosse maluco.
Os pais sabem e os alunos também que eles dependem do que aprendem na escola.
Mostrar pai e aluno como débil mental é muito ruim.
E essa estória de celular já deu muito que falar.
Proibir celular na sala de aula, é um projeto de lei que só passou, porque na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo só legisla a favor dos professores..."


"Senhora
Sei que a senhora é uma mulher inteligente, mas está substimando a inteligencia dos pais.
Evidente que está jogando para os professores.
Eu me interessei pelos comentários e copiei quase todos.
Não tem nem a menor possibilidade da senhora não perceber que o Zeca é o aluno que as escolas dizem que existem e por conta deles a escola vai mal.
Com tantos detalhes aqui postados, até uma pessoa com inteligencia abaixo da média entenderia
O Zeca é mesmo um presente que a senhora deu aos professores e ao mesmo tempo uma punhalada nas costas dos pais e alunos.
O Zeca que só existe como desculpa para as professoras ministrarem uma aula medíocre a senhora deu vida..."


"...PÉ DE GALINHA NÃO MATA PINTO
Bem só pegando o gancho desse ditado popular.
Primeiro criança não é pinto e galinha ´não é mãe.
Com esse e outros discursos professores incentivam os pais a espancarem seus filhos.
O conceito de educação mudou, as leis mudaram, mas os professores não querem mudar
Os professores querem perpetuar o uso da palmatória e dos castigos crueis, usam e abusam de tortura contra alunos pequenos, vide castigo muito usado na escola chamado "elastico"
Espancar adulto é crime, lesão corporal.
Espancar animal é maus tratos.
Espancar aluno na escola é para educar?
Pior que isso, acham que os pais tem que espancar, e nos discursos está sempre explicito.
Dizem que os pais passam a mão na cabeça do filho.
Quando a mae de um filho rebelde chora e diz que não sabe mais o que fazer, as professoras dizem, que elas entao nã podem fazer nada também e sugerem "mais dureza"
Os saudosistas tem saudade do tempo que podiam livremente usar a palmatória.
Só para lembrar:
No tempo que se usava a palmatoria, professora não matava aula impunemente.Nem se ouvia falar desses absurdos que se ouve falar hoje
Depois a educaçao do tempo da palmátoria não deu certo, senão não estariamos hoje mergulhados na miseria moral, nas drogas e na violencia"


E por aí vai!

Dentre vários comentários de apoio ao fim da violência e desrespeito aos professores, um deles me chamou a atenção. É de uma aluna.

"Que absurdo! Não é possível que existam escola tão diferesntes assim no Brasil!Aqui na minha região, os alunos agridem professor, se fazem de vítimas ,e os pais aindam vão no conselho tutelar encher o saco!Tem professora chata sim , mas acho que não é motivo para agredí-las nem desrespeitá-las. Na escola que estudo atualemnte já mudei de turma várias vezes( fui para o noturno e passei para o diurno) no ano passado e em TODAS as salas havia celulares ligados ,não existe isso de esquecer o celular ligado não , eles ligam de propósito ,os colegas tiravam foto da professora brigando ,riam da cara ,daquele jeito mesmo que passa na novela.Tinha filhinho de papai que ainda ia revoltado com papai e mamãe inventando que tinha sido agredido e tudo mais.É tirte dizer mais os meninos agridem a s professoras SIM e se fazem de vítimas depois falando da educação pública, que não tem condições de concorrer com escola particular. É lógico que não! E beem feito que não. Sabe o que eu queria? Punição! Chega desse negócio de falar que menor de idade é coitadinho. É coitadinho uma ova Chega de impunidade!!!"


Agora, minha opinião, não somente sobre o problema da escola, mas sobre novelas e personagens.

1º. Já lecionei em escola particular e pública. Tanto no ensino básico quanto no ensino superior, os alunos de instituições particulares gostam de tratar os professores como se fossem seus escravos. Claro que nem todos os alunos são assim, mas já passei por muitos problemas. Coisas do tipo: pai de aluno vir me dizer desaforo dentro da sala de aula porque não deixei seu filho entrar atrasado, sendo que a escola tinha essa regra e eu foi que recebi a bomba; aluno me ameçar porque lhe dei zero numa avaliação copiada até as vírgulas e erros de português de outro colega; um aluno que me jogou um disquete porque eu disse que só aceitaria seu trabalho impresso e lhe dei a oportunidade de procurar um lugar para imprimir; mãe de aluna que fez seu trabalho da escola, inclusive com a própria letra, e eu tive que pedir desculpa a aluna depois de perguntar quem foi que fez o trabalho. E tem muito mais!

2º. Muitos pais não educam seus filhos, não lhes dão limites e não ensinam respeito. Não ensinam seus filhos a aceitarem um NÃO como resposta e a lutar com justiça pelo que querem. Não ensinam seus filhos que o mundo não gira ao redor deles e que as pessoas não têm obrigação nenhuma de fazer suas vontades. As consequências disso são: adolescentes e até adultos que matam a namorada porque não suportam o fim do relacionamento; adolescentes que discriminam e agridem colegas que consideram diferentes e não adequados ao seu roll de amizades; alunos que agridem os professores caso estes os repreendam ou lhes desagrade de alguma forma.

3º. Existem professores que não deveriam estar em sala de aula, pois só têm o diploma e não têm compromisso com a profissão. Assim como em outras áreas profissionais, existem bons e maus professores. Existem também aqueles que não aguentam mais a vida de correria que levam e acabam por fazer o mínimo possível em sala de aula, pois não compensa fazer o máximo. Se você não dá o máximo e não está contente precisa começar a procurar outro emprego, pois não dá para ir para a sala de aula e descontar suas frustrações nos alunos e colegas de trabalho.

4º. Existem professores que fazem de tudo para conseguir dar boas aulas, se esmeram, mas não são reconhecidos e, muito menos, valorizados financeiramente. Quem nunca teve uma jornada de 60 horas semanais (três turnos) e ainda teve que aguentar aluno indisciplinado, diretor incompetente e salário baixo, não sabe o que um professor lutador passa nesse país.

5º. Esse eu vou colocar em negrito, pois acho que é o mais importante na discussão sobre a novela. É uma novela, escrita por uma pessoa que sempre procura mostrar vários tipos de realidade e culturas diferentes. A cada novela que a Globo lança surge uma polêmica besta! A novela que tinha a striper que se passava por enfermeira ofendeu as enfermeiras e falaram até em processo (nem sei se deu em alguma coisa!), como se o autor estivesse dizendo que toda enfermeira é puta, mesmo a striper nem sendo puta! Nessa novela agora, as pessoas estão agindo como se a autora quisesse dizer que todos os alunos são como Zeca e todas as professoras são como Berenice! Cadê a inteligência dessas pessoas? Não é de admirar que alguns atores e atrizes acabem sendo agredidos na rua por telespectadores que não sabem separar a pessoa da personagem! São seres humanos que não raciocinam, que não usam nem os famosos 10% do cérebro, mas sabem muito bem dançar o Créu! Se parassem para pensar veriam que nunca se abordou o problema da violência nas escolas da forma contundente como Gloria Perez está fazendo agora e é preciso que as pessoas saibam que Zeca não está somente na imaginação de uma escritora. Está por aí, em uma sala de aula perto de você! Se algum autor resolver abordar o problema dos professores não comprometidos com a profissão e que cometem abusos, é ótimo também! É uma forma de mostrar outra realidade e eu prometo que não vou processar ninguém por achar que ele está dizendo que todo professor é assim!

Bom, espero que essa polêmica sirva para acordar os brasileiros para os reais problemas de professores e pais de adolescentes.


Leia mais este excelente texto sobre o assunto.

Veja esta reportagem que mostra o quanto os pais são coniventes com os abusos dos filhos.


Siga-me no Twitter e fique por dentro das novidades!

14 Comentários:

Rodrigo Piva disse...

Cansei de ouvir histórias sobre alunos que agrediram professores. Lamentável! Lembro que quando estudava tínhamos medo e respeito de quem nos ensinava. Dá para contar nos dedos casos em que professores foram desrespeitados. Infelizmente hj é completamente o inverso e parece que virou normal. Triste.

Abraços

FRX disse...

eu ja perdi tanto tempo com novelas que pela mor de deus pra mim encarar uma novela só se for 5 capitulos kkkkkk

tv pra mim é canal musical ou filme

Moura disse...

Querida e conterrânea Alcione, amei este seu post, pra você nota 10!
Acredite, eu até estou vendo esta tal novela "Caminho da Indias" com minha querida esposa, tirando os 90% das sacanagens que pregam as novelas, os 10% são polêmicos mas interessantes.
O que mais "gostamos" é ver a dedicação, esmero, assiduidade e compromisso que os indianos tem com sua cultura e religiosidade mesmo não concordando com muitas coisas eu tiro o chapéu pra eles.
Quanto ao comentário da aluna consciente, pra ela nota 10!
Coitadinho são os professores que são aterrorizados pelos pequenos infratores "marginais", que deveriam estar numa casa de reabilitação e não numa escola convencional.
Quanto aos seus 5 tópicos, não tenho nem o que dizer, você já disse tudo, logo só posso lhe atribuir mais um 10!
Como pai tenho me esmerado para educar minhas duas filhotas (7 e 10) aninhos a respeitarem os professores e mais velhos assim como era na minha época, pois certas coisas não mudam com o passar do tempo, e uma destas é a educação herdada dos pais no berço.
Tenha uma excelente semana, com saúde, paz e luz!
Bjoks,
Moura

Dani disse...

não acompanho a novela, ate porque na hora que passa geralmente, nunca estou em casa,
mas ja ouvi falar desse personagem.
é um babaquinha mesmo, com pais mais babacas que ele.
isso acontece muito,sim.
a partir do momento, que os proprios pais nao chamam a atenção, ele vai se criar e vai tomar gosto achando que é a coisa mais legal do mundo.

lamentavel...

http://nadadelicada.blogspot.com/

Groo disse...

Sim, "casamos" os assuntos e não me surpreendo com os comentários no blog da autora na novela. Já ouvi muitos assim quando lecionei em escola particular ( vi e ouvi coisas que até Deus duvida e que nem na escola pública de periferia acontecem). Felizmente larguei esse tipo de escola.

Concordo com o que escreveu sobre professores. Eu mesmo tenho 60 horas semanais e não é nada fácil. Sabe o que acontece também? Esse professor, com 60 horas e é dedicado, "se vira nos 30" para dar uma boa aula e na maioria das vezes não é reconhecido, não vê retorno e o que acontece? Passa a fazer seu trabalho burocraticamente. Conheço casos assim, de professores excelentes que passaram ao "ensino burocrático".

Parabéns pelo texto. Muito bom mesmo.

abs!

Editora Verborrágicos! disse...

TRANSFORME SEU BLOG EM LIVRO!!!
Há 3 anos temos um projeto de divulgar os novos escritores pela web no blog www.verborragicos.myblog.com.br . Assim, este ano, nasceu a Editora Verborrágicos!, que pretende publicar livros em meio virtual e impresso (opcional). Para isso, oferecemos um formato novo e mais agradável de ebook, que não cansa a vista e que permite os leitores folhearem as páginas virtuais. Além disso, o ebook que oferecemos vai além de mais um arquivo disponível na web. Nós publicamos com todos os requisitos legais exigidos para uma publicação, como Nº ISBN, código de barras, ficha catalografica e registro na Biblioteca Nacional; ou seja, você realmente publica sua obra! Hoje o mercado literário na web cresce muito rápido, então aproveite a popularidade que seu blog já tem e alcance outros novos leitores com esse novo formato de livro digital. Escreva para verborragicos@gmail.com e solicite seu orçamento.
Saudações Verborrágicas!

Verdes Confissões disse...

Bom, não acompanho novelas, não curto nenhum um pouco.
Mas já me deparei por algumas vezes com pessoas comentando sobre essa personagem.
É realmente ridículo essa história de meu filhinho e mais ainda colocarem a culpa em professores.
Sou aluna, sei que existem alguns insuportáveis, mas apesar de tudo, respeito todos, afinal, eu estou na sala para aprender e não pra ficar me preocupando com o que o prefessor é ou deixa de ser.
E infelizmente é essa a realidade em muitas escolas.

Alcione Torres disse...

As pessoas que nunca ensinaram em escolas particulares têm uma impressão errada delas. Acha que lá "tudo são flores", mas é o contrário. Professor trabalha debaixo de 3 chicotes: do aluno (filhinho de papai que só quer esculhambar e nem se preocupa com o dinheiro que os pais estão investindo), dos pais (que acham que seu filho tem que passar de qualquer jeito, já que eles estão pagando) e do diretor (que morre de medo de perder aluno, faz o que ele quer e, muitas vezes, os pais nem sabem o que seu filho faz na escola, por só poder falar com a direção).
Já vi uma mãe chorar de vergonha na minha frente no dia em que ela passou por cima da direçãoe veio falar comigo para saber o que tinha acontecido com seu filho, já que era sempre tão bonzinho e recebera um castigo dado por mim (deixei ele sem o futebol). Quando eu contei tudo o que o menino fazia na escola a mãe quase teve um troço! Disse que a diretora nunca tinha dito nada daquilo a ela e, por isso, sempre achou que seu filho era excelente em comportamento! Foi a maior confusão, pois agora a bronca caiu em cima da diretora! Ela me pediu desculpas, disse que eu estava certa e que iria pegar mais no pé de seu filho com os estudos.
Adivinhem, depois de mais alguns probleminhas iguais a esse, quem foi demitida no fim do ano?

junquera, r. disse...

Olá!! Cheguei aqui através do Dhitt, e o post me interessou porque sou uma aluna de ciências biológicas apaixonada pela licenciatura. Estudando diariamente a didática, a psicologia da educação, entre outras coisas pertinentes à licenciatura, eu vejo o quanto os professores, principalmente os concursados, que efetivam-se, são despreparados. Não é uma coisa que vejo apenas na teoria, porque para minha infelicidade e vergonha, meu pai é professor do estado: efetivou-se e nunca mais estudou, nunca mais especializou-se, e na escola onde ele trabalha, os outros professores estão igualmente encostados. Entretanto, este quadro, a meu ver, é decorrente da desvalorização total do professor por parte do estado, e da má remuneração. À parte esse problema do corpo docente, que existe sim, os maus alunos contribuem também para má educação que se faz no Brasil. Alunos como o zeca são tão reais como abundantes nas salas de aula, e na minha particular concepção, isso é fruto da displicência dos pais.

"Bom, espero que essa polêmica sirva para acordar os brasileiros para os reais problemas de professores e pais de adolescentes."
É uma pena que as pessoas que precisam acordar provavelmente estão lendo resumo de novela e fofoca sobre os artistas, em vez de lerem blogs como o seu!

Alcione Torres disse...

Não se envergonhe disso. Muits pessoas, quando caem nesse buraco, não sabem como sair de lá e se rendem.
Cabe a você fazer diferente!
Obrigada pelo comentário!

Dário Souza disse...

Tu le um texto desse, e pergunta, quem por acaso quer ser professor ??Eu msm nunca me interessei pela profissão as pessoas dificilmente te dao atençao,vc eh tratado mal em sala de aula, sem contar que nosso sistema educacional nao eh visado no conhecimento, mas sim numa troca de favores, tu tira uma nota boa e eu te passo de ano.Se vc realmente aprendeu ou nao.O problema ja nao eh meu.E assim continuamos cavando mais fundo esse buraco

CG FILM PICTURES disse...

Isso é um problema onde a culpa é dos pais.
Beijinhos de
Rozangela Melo
Visite nosso site, fazemos cinema amador.
www.cgfilmpictures.blogspot.com

Claudeko disse...

ALUNO, FILHO DE PROFESSORA

Claudeci Ferreira de Andrade


Uma mãe que também é professora, de cujo filho sou professor, disse-me a coordenadora que ela estava aterrorizada por medo de que eu pudesse estar marcando seu filho para a reprovação! Isso aconteceu pela terceira vez, pois ela mesma já tinha falado comigo. Na tal conversa, falei quem era seu filho na sala: um dos piores, em comportamento e aprendizagem. Eu não condeno essa mãe professora por alimentar tamanho medo. Apenas compreendo ternamente e procurei ganhar melhor a sua confiança com a verdade.

Estou aprendendo muito com esse filho de professora. Já tive outros filhos de professor como aluno. Mas, eu os tinha sempre como exemplos de aluno, apesar do fato de que evidentemente eles nunca foram bons exemplos, tratavam-me com o mesmo descaso que provavelmente tratavam seus pais, pelo o motivo que eles sempre misturam os papéis: o professor na pele de mãe e a mãe na pele de professor. Mesmo que esse aluno basicamente se preocupasse comigo e com os colegas, não deixou de se colocar como fofoqueiro, inventando tantas mentiras para denegrir minha imagem perante sua mãe; sentia grande necessidade de ter cuidado de si mesmo. Não confia em professor algum.

Não obstante, agora estou coagido a ceder a seus caprichos, ele levanta a hora que quer, não posso impedi-lo de ir ao banheiro, conversa à vontade, perturbando o bom andamento da aula, pois não posso repreendê-lo. E estou obrigado pelas circunstâncias a facilitar para que tire notas boas, tenho medo que interprete minha atitude de bom professor como marcação; conte à sua mãe, e ela venha correndo pela quarta vez à escola, e dessa vez fale com a diretora.

Que visão acanhada! Como me dissesse que não é capaz de acompanhar os outros com a mesma competência. Eu não poderia admitir por fim que seja destruído, mas sua mãe não me deixa trabalhar melhor.

Eu sei que condenando esse aluno, não estaria resolvendo o seu problema. Isto jamais resolve os problemas de alguém. Assim, o melhor que posso fazer é deixá-lo tranquilo, não o prejudicarei mais do que já estar e que descubra ao longo de sua vida escolar que tem diferença entre professores. Não sou de marcar aluno, afinal, não chamo a atenção de aluno algum que não seja para demonstrar maior cuidado.

Agora estou condescendendo com esse aluno, por medo do que poderá acontecer à minha reputação e por se tratar de um filho de professora, perdi a confiança e o respeito dele. Sei que somente quando chegar a perceber que minha atitude anterior — antes de descobrir que ele é filho de professora — seria seu melhor caminho, totalmente adequado, vai lamentar, pois poderá ser tarde demais para que nossos temores finalmente sejam desfeitos.

Marcos disse...

Professores ja me agrediram quando eu era pequeno na escola, não é a melhor forma mesmo de um professor agir mais os pais devem ter estrutura para educar um filho independente de classe social e economica!

Postar um comentário

Os comentários somente são publicados após moderação.
A partir de 11/02/2010 os comentários ANÔNIMOS serão todos REJEITADOS e sequer serão lidos.

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Comentários recentes

Twitter

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO